OCTYPE html> ARCEBISPADA (LETRA) - Zeca Afonso

Arcebispada (Letra)

Zeca Afonso - Letras

Arcebispada (Letra) - Zeca Afonso

Pregais o Cristo de Braga
Fazeis a guerra na rua
Sempre virados prò céu
Sempre virados prà Virgem
A Santa Cruzada manda
Matar o chivo vermelho
Contra a foice e o martelo
Contra a alfabetizaçao
Curai de ganhar agora
Os vossos novos clientes
Além do pide e do bufo
Amigos do usurário
Além do latifundiário
Amigo do Capelao
“Abre Nuncio Vade Retro
Querem vender a naçao”
“A medicina é ateia
Nao cuida da salvaçao”
Que o diga o facultativo
Que o diga o cirurgiao
Que o digam as criancinhas
“Rezas sim, parteiras nao”
Se o Pinochet concordasse

Já em Fátima haveria
Mais de trinta mil vermelhos
A arder de noite e de dia
Caridade, a quanto obrigas
Só trinta mil voluntários
“Cristo reina Cristo vinga”
Nos vossos santos ovários
E também nos lampadários
E também nos trintanários
Abre Nuncio Vade Retro
Querem vender a naçao
O Carnaval da capela
O liturgia do altar
Já lá vem Camilo Torres
Com o seu fusil a sangrar
Igreja dos privilégios
Mataste o Cristo a galope
Também Franco, o assassino
Mandou benzer o garrote

Arcebispada (Letra) - Zeca Afonso