OCTYPE html> NO ENTANTO… (LETRA) - Síntese

No Entanto… (Letra)

Síntese - Letras

No Entanto… (Letra) - Síntese

Mártir em formação… Mais uma anotação do cárcere.
São, corpo pesado e mente a milhão.
Quero só ver minha geração se comportando no poder…
É resistir subverter, mais que se opor e combater. fato. Eis meu pecado…

Doentio com o agora,
Manobrado, do o “pior” pro “perfeito” há o “menos desandado”.
Causa da condição cuja a consequecia é o açoite
Nos confins da noite, sérião, é ainda crer na expressão,

Não saber lidar com a emoção,
Não render ao internar desonesto a disposição pra interagir nas relação que alimento…
O endurecer que chamam de maturidade.
Capital do luto, tudo se tempera com saudade.

[Presente] lote tempo/espaço onde a sentença é a luz.
Povo sem crença [pensa] se abate à imposta turbulência,
Alma em falência. Intelectos desatam o nó da venda.
Princípio desfalece ao ver o caráter à venda.

Só tenho o externar, e erro ao me apegar até cegar.
Ah… desavença astral… Pessoal.
Flerte com a morte, nesse vórtice.
Segue a programação – astuta – consideração de quaisquer margem de erro

Me garante o enterro. Inflação do vácuo que sufoca,
E é pureza por algo parecido com ar em troca.
Concordância fatídica do estado com o enredo…
– Nota pessoal. Estado: queda. –

Receio do que abre a boca, enquanto o sábio se cala.
Tudo da “téria” é “má”, e eu tô cansando de explanar pala…
Estranhos na sala, quarto e banheiro…
Qual a pergunta certa ao auxílio traiçoeiro?

No ato da expressão, quase não importa a vibração,
O que mais fere é ver que o sentimento não transfere.
Afinal, quem se dispõe na expedição universo a dentro
Do irmão interno da guerra, leso e desavento?

Filho do memo Pai, no seio da mema Terra,
Vede pureza sob o pó. Quem estranha o bem, erra.
Pós o se corromper. [guerra].
Era do cobertor de carne e paletó de cimento, impede transcender.

“E pra existência ascender? Na treva o ódio é cativante.”
O manual da transcendência tem que ser redundante.
Amem. O senso virá. Amém.
Criador, Co-Criador Redentor. Amor, perdão. Bem.

Enquanto só vejo o irrigar do jardim do rei no umbigo.
Ceticismo demais pra escutar o pecador ungido,
Pra reconhecer o santo ou se curvar diante do Pai,
Fraqueza ou opção divisão do que subtrai?

Mas é só meu jugo… Possesso e sem razão, irmão.
Temos uma fera domar – língua – ruína do homem.
Porém, buracos ao chão, no errado não há perfeição.
Não vô na véspera. Sem o bem o mal morre de fome.

Em meu nome: A dor do astuto sinto um tanto.
Eis-me aqui, por(…)tanto. E no entanto, sangro o canto.

No Entanto… (Letra) - Síntese