OCTYPE html> BOMBA H (LETRA) - Luizinho e Limeira

Bomba H (Letra)

Luizinho e Limeira - Letras

Bomba H (Letra) - Luizinho e Limeira

Só idéia forte aqui é face da morte
Que chegou pra ficar não veio pra rebolar
Na batida que apavora o rap é foda e não é moda
Foda-se quem se incomoda revolução no ar
Minha rima é bomba h difícil de segurar
Eu cheguei pra somar trocar uma idéia de irmão
Ai sangue bom a coisa aqui não é fácil não
Cheira cola fuma crack
Dá uns tiro toma back enche a cara de cachaça
Vou assistir ao sai de baixo
É melhor pensar um pouco
E ver em qual droga eu me encaixo
Eu acho que nenhuma vale a pena
To fora desse esquema
Eu quero ir pra bem distante
Espere um instante que eu vou pra beira mar
Pegar um táxi pra estação lunar
Quem sabe de lá eu consiga ver entender
Melhore esse mundo imundo
E como disse zé ramalho “ê vida de gado!”
Ê baralho marcado não entendo esse jogo
Tão me fazendo de bobo
Vê se pode no congresso muda
A lei em beneficio da forre
Enquanto o pobre passa fome é humilhado e só se fode
Nas ruas eu vejo as tropas de choque
Trocando tiro na favela
O sangue escorre nas vielas
Quem te fé acende vela
O corpo rola no escadão essa é a missão
De um militar de baixo e alto escalão
Nos quartéis eles ensinam uma antiga lição
De morrer pela pátria e viver sem razão
Com força de deus é que vamos mudar
Paranauê paranauê pararara
A revolta daqui é o medo de lá
Paranauê paranauê pararara
O estudo daqui é o medo de lá
Paranauê paranauê pararara
E a rima daqui é o medo de lá
Paranauê paranauê pararara
12 manos armados executaram um bem bolado
Atitude e sorte na trilha do carro forte
Que rendeu quase 1 milhão, garantia de pão
O mano me disse que o 157 é o que resta
Nada mais interessa
Ele é negada a educação
Distorcida informação
Processo de exclusão que deixa a marca
O rap retrata na levada na caixa no bum bum baixo
Marcando o compasso timbau, na luta contra o mal
Minha rima é letal também sou racional
Tem um lado animal no país do carnaval
Onde clima é tropical tudo aqui é uma delicia
Mas confira as estatísticas procure as proporções
Com mais de 15 anos mais de 15 milhões
Que não sabem o bê á ba desse jeito não da!
Onde essa porra vai parar!?
Juscelino Kubischeck a quem conteste
Levou o governo do brasil pra brasília
Seguindo nessa trilha, fhc é bem pior
O sociólogo vendido
Entrega nosso governo aos estados unidos
Serviçal do imperialismo doutorado em cinismo
Um tal de fmi é quem dá as cartas por aqui
Tem concentração de renda tifundio fazenda.
Na favela tem chacina
No congresso descobriram
Coisa boa é cocaína
Pra fazer “negócio da china”
Agora olhe do seu lado um grande carro importado
Com ar condicionado anda de vidro fechado
No sinal é abordado se pá assassinado porque?
Tente você responder
A elite tem que entender
Desigualdade social é a origem de todo mal
Com a força de deus é que vamos mudar
Paranauê paranauê pararara
A revolta daqui é o medo de lá
Paranauê paranauê pararara
O estudo daqui é o medo de lá
Paranauê paranauê pararara
E a rima daqui é o medo de lá
Paranaue paranaue pararara
Vou mandar um comunicado a direção do playcenter
Que tem muito concorrente de olho na patente
das noites o terror
tipo aonde eu levo meu avô,
tem morto no corredor.
Nos hospitais da rede publica
Há choro e muita suplica
Mas falta remédio
Leito médico respeito
Ninguém dá um jeito!
Investimento na saúde é pouco é precário
O ministro José Serra é um bom agente funerário
Eu sou católico crismado e batizado
Outro dia injuriado fui dar um rolê no centro
Cheguei lá tava chovendo aproveitei entrei no templo
Não vejo nada de mal já que deus é universal
Porem não concordei com o que vi
Coitados sendo explorados até o último centavo
Eu acho muito esquisito comprar favores do céu
Sacrificando seu dinheiro na fogueira de israel
Vou explicar agora veja
Você faz um depósito na igreja
O comprovante vai pro fogo
E o dinheiro vai pro bolso de deus é claro
Pra que fique bem claro
É tipo assim a regra dessa ferma
Joga o dinheiro pra cima
O que deus pegar é dele o que cair no chão é meu
Entendeu?
Essa é a vida tudo bem
Cheguei a conclusão que fé demais não cheira bem
Cada vez mais expostos nos empurram impostos
Confortáveis em seus postos ganham um puta dinheirão
Eles são os anões que apertam botões
Manipulam a nação por meio da televisão
Com a retorica república eles fazem na vida publica
O que fazem na privada
Um monte de bosta que não serve pra nada!
Com a força de deus é que vamos mudar
Paranauê paranauê pararara
A revolta daqui é o medo de lá
Paranauê paranauê pararara
O estudo daqui é o medo de lá
Paranauê paranauê pararara
E a rima daqui é o medo de lá
Paranaue paranaue pararara

Bomba H (Letra) - Luizinho e Limeira