OCTYPE html> SENTADO À BEIRA DO CAMINHO (LETRA) - Divino e Donizete

Sentado À Beira do Caminho (Letra)

Divino e Donizete - Letras

Sentado À Beira do Caminho (Letra) - Divino e Donizete

Eu não posso mais ficar aqui a esperar
Que um dia, de repente, você volte para mim
Vejo caminhões e carros apressados a passar por mim
Estou sentado à beira de um caminho que não tem mais fim

Meu olhar se perde na poeira dessa estrada triste
Onde a tristeza e a saudade de você ainda existem
Esse sol que queima no meu rosto um resto de esperança
De ao menos ver de perto o seu olhar que eu trago na lembrança

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo

Vem a chuva, molha o meu rosto e então eu choro tanto
Minhas lágrimas e os pingos dessa chuva
Se confundem com o meu pranto

Olho pra mim mesmo, me procuro e não encontro nada
Sou um pobre resto de esperança à beira de uma estrada

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo

Carros, caminhões, poeira, estrada, tudo, tudo
Se confunde em minha frente
Minha sombra me acompanha e vê que eu
Estou morrendo lentamente
Só você não vê que eu não posso mais
Ficar aqui sozinho
Esperando a vida inteira por você,
Sentado à beira do caminho

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo

Sentado À Beira do Caminho (Letra) - Divino e Donizete