OCTYPE html> FEAT MENESTREL E CYNTHIA LUZ** (PART CYNTHIA LUZ E MENESTREL) (LETRA) - Costa Gold

Feat Menestrel e Cynthia Luz** (part Cynthia Luz e Menestrel) (Letra)

Costa Gold - Letras

Feat Menestrel e Cynthia Luz** (part Cynthia Luz e Menestrel) (Letra) - Costa Gold

Sempre [?] por ter minha cara na sua camiseta
Cêis são piores que fumar bastão de skunk
Reclamam da mancha que tem na bombeta
Explico que eu vim da lama e apareci num instante
O Lotto sabe, que, se eu bato na porta, é clássico delivery
Sou feio e talentoso igual o Ribéry
Fissurado em cerveja, irmão
Levo o Hennessy
Meu tempo gira ao contrário
Relógio [?]
Elas me ligam com aquela desculpa velha
Que eu [?] a gente ri e assiste o Netflix
Proposta irrecusável, nega quer me seduzir
Pena que eu sou GPI também sou sua assinante, fi
E o verso não vale [?] gostosas
E os desejos bondosos são cheios de maldade
Que me entregam seus golpes
Sangue no cálice
[?]
Sant meu mano, toma teu salve

Não me pergunta porquê
Eu vou fazer o bagui virar
Eu vou fazer o bagui virar
Nos dedos
Não me pergunta porquê
Eu vou fazer o bagui virar
Eu vou fazer o bagui virar
Nos dedos

Sempre [?] por ter minha cara na sua camiseta
Cêis são piores que fumar bastão de skunk
Reclamam da mancha que tem na bombeta
Explico que eu vim da lama e apareci num instante
O Lotto sabe, que, se eu bato na porta, é clássico delivery
Sou feio e talentoso igual o Ribéry
Fissurado em cerveja, irmão
Levo o Hennessy
Meu tempo gira ao contrário
Relógio [?]
Elas me ligam com aquela desculpa velha
Que eu [?] a gente ri e assiste o Netflix
Proposta irrecusável, nega quer me seduzir
Pena que eu sou GPI também sou sua assinante, fi
E o verso não vale [?] gostosas
E os desejos bondosos são cheios de maldade
Que me entregam seus golpes
Sangue no cálice
[?]
Sant meu mano, toma teu salve

Não me pergunta porquê
Eu vou fazer o bagui virar
Eu vou fazer o bagui virar
Nos dedos
Não me pergunta porquê
Eu vou fazer o bagui virar
Eu vou fazer o bagui virar
Nos dedos

Por isso eu vivo sem sossego
Sem sossego nego, sem sossego
Pois sou príncipe do gueto
Príncipe do gueto, produto do gueto
E o meu corre desde cedo
Sem sossego nego, sem sossego
Um exilado do governo
Príncipe do gueto, produto do gueto

Costa Gold e Menestrel
Money, money
Money, money
É pra falar umas verdades, então?
Demorou, fechou

Descendo a ladeira na fé, com os cop na beira
Logo do Damassa na bandeira
Na ladeira mó fé os cop na beira
“Cêis” nunca vão tomar meu lugar do topo do topo e se eu rimar vai ter (Aaaah)
Sonhos e planos, insanos, e manos tentando acabar com a corrida
Que foi construída sem nenhuma ajuda do seu pessoal (Tá ligado?)
Percebe o ensejo nos olhos
Eu vejo do público do rap se mostrando hipócrita
Oh tá, original
E [?] Kamau, xabal [?]
Na moral
De quem fala do Costa
E porque que eu falo da minha família em toda canção?
(Morô ladrão)
[?] cusão, pega a visão
Que se o assunto é família e pá
Sujeito homem tem dívida de gratidão (Vacilão)
([?] cê não acha meio difícil porque [?])
Eu lembro do Guilhermino fechando show a duzentos reais
E dividindo o total de seis (Prr)
Lembro do mano que representava na postura o Costa Gold em fase do produção [?] todos os MC’s de [?]
(Quem tem boca fala o que quer)
Também lembro do mano que saiu do (-) puro, a mina [?] a força
Rolê com o bonde eu sei quem caguetou [?]
[?] pelo pódio
Eu nasci no morro e migrei na cidade
Com integridade de um homem que batalha pra ter uma família
E sabe porque eu não vou colar com tu irmão
Porque com trinta e dois eu vou querer visitar minha filha

(Vocal)
Tudo vem, pra provar
Cê tá tentando atropelar
Prepara a mira
Ostentando [?]
[?] a melodia, melodia
E ela me chamou, oh
Se pá que ele já sabia
Oh, entendo o verso e sinto a força que tem a família
Com os traps do Lotto nós escreve e curte a brisa

Noite pra quem trabalha é dia
Tamo na quinta dose de filosofia
Oprime quem deixa a mente vazia
Não ligo se junto na mesa do justo
Noite pra quem trabalha é dia
Tomando a quinta dose de filosofia…

Feat Menestrel e Cynthia Luz** (part Cynthia Luz e Menestrel) (Letra) - Costa Gold