OCTYPE html> CARANGUEJO (LETRA) - César Menotti e Fabiano

Caranguejo (Letra)

César Menotti e Fabiano - Letras

Caranguejo (Letra) - César Menotti e Fabiano

Vai, vai na paz e não volta jamais
Quem vive de passado é museu
Caranguejo é quem anda pra trás
Se não deu valor, vai

Era um desejo, um olhar intuitivo
Sonhos incubados de um amor proibido
Um tiro certeiro, uma flecha atirada
Em meu coração, ilusão, ilusão
De repente a gente se acertou num beco escondidinho
Eu estava bem, transformei meu destino
Troquei o meu certo por alguém que não me amava
Rolou uma ilusão, sem noção, uou, uou

Vai, vai na paz e não volta jamais
Quem vive de passado é museu
Caranguejo é quem anda pra trás
Se não deu valor, vai

Vai na paz e não volta jamais
Quem vive de passado é museu
Caranguejo é quem anda pra trás
Se não deu valor, vai

Era um desejo, um olhar intuitivo
Sonhos incubados de um amor proibido
Um tiro certeiro, uma flecha atirada
Em meu coração, ilusão, ilusão
De repente a gente se acertou num beco escondidinho
Eu estava bem, transformei meu destino
Troquei o meu certo por alguém que não me amava
Rolou uma ilusão, sem noção, uou, uou

Vai, vai na paz e não volta jamais
Quem vive de passado é museu
Caranguejo é quem anda pra trás
Se não deu valor, vai

Vai na paz e não volta jamais
Quem vive de passado é museu
Caranguejo é quem anda pra trás
Se não deu valor, vai

Vai na paz e não volta jamais
Quem vive de passado é museu
Caranguejo é quem anda pra trás
Se não deu valor, vai

Caranguejo (Letra) - César Menotti e Fabiano