OCTYPE html> O QUE EU POSSO FAZER (PART DIOMEDES CHINASKI) (LETRA) - Atentado Napalm

O Que Eu Posso Fazer (part Diomedes Chinaski) (Letra)

Atentado Napalm - Letras

O Que Eu Posso Fazer (part Diomedes Chinaski) (Letra) - Atentado Napalm

Vendo um ponto luminoso distante
Em meio ao nada essa luz ainda resiste
Percorrendo o universo num instante
Porque longe é um lugar que não existe
Ouvindo um canto fervoroso vibrante
A voz do espírito não teve limite
To submerso no que eu acho importante
O eu lírico me guia, eu sigo o que ele permite
Todo mundo um dia morre
Mas quando morre o dia nasce o mundo das sombras por doze horas
Quem apenas dorme, a noite é igual a morte
Eu perambulo igual sonâmbulo em vão nas vias do agora
Quero um ponto de equilíbrio tipo Hélio
Vou desconectar sem manter distância
Pra quando eu me tornar o mais novo dos velhos
Lembrar que a própria vida não começa só na infância

A vida passa e nos somos passado
Desde o nosso nascer
Se a sina do homem é o seu perecer
Seja o que for pra ser
O tempo caça, eu fui sempre caçado
Não posso reverter
Se o que me destina vai acontecer
Que que eu posso fazer?

Até virarmos deuses do Olimpo (Do Olimpo)
Nesse jogo a gente joga Limpo (Joga Limpo)
Todo engomadinho até ganhamos quite
No passado as coisas não eram tão Simple
Até virarmos deuses do Olimpo, do Olimpo
Nesse jogo a gente joga limpo.. Joga limpo
Todo engomadinho,até ganhamos kit,
no passado as coisas não era tão Simple
Já passei por cada coisa que se eu dissesse aqui você diria,
como o Eko é pessimista
Dedico o verso da excursão a quem não tinha grana
pra levar uma fruta em dia de salada mista
Por que fazemos rimas sempre tão machistas?
Ao invés de ser a voz de quem vivem à margem
Pra depois amarelar em alguma entrevista
Alegando que nos versos era um personagem?
A cigana viu na bola de cristal,
disse que é previsível meu final
Expressão de cansaço jogando a toalha
na suíte presidencial
Nessa liguei Diomedes é só papo reto
Então que os inimigos se curvem
Essa é a nossa vingança, o troco,
A volta por cima, por cima das nuvens

A vida passa e nos somos passado
Desde o nosso nascer
Se a sina do homem é o seu perecer
Seja o que for pra ser
O tempo caça, eu fui sempre caçado
Não posso reverter
Se o que me destina vai acontecer
Que que eu posso fazer?

Quando vi meu filho, na maternidade
Finalmente compreendi o amor de verdade
Eu queria que meu pai ouvisse essa letra
E soubesse como sinto tanta saudade
Eu queria que a vida fosse mais fácil
Eu queria um futuro legal pra noiz
Eu queria merecer o amor da minha dama
Filha da puta nenhum sabe como doi
Me prejudiquei ou fui prejudicado
Meu emocional é todo retalhado
Não faço questão de ser o rapper durão
Porque quase toda noite tenho chorado
Quando tô na sua cidade tô drogado
Muitos acham mais eu não acho isso engraçado
Sempre que to solitário em um quarto de hotel
Lembro dos amigos que viraram finados
Olha pra minha geração que são concursados
Estão no banco dos réus sendo acusados
Os demônios do sistema são ocultados
Me diz quem que são os culpados
Eles roubaram a pátria inteira
Fiz um move só pra compra minha fera
Pensei meu filho, nessa doidera
Oque será da nação brasileira

Cada vez que alguém pedir que volte a ditadura
Lembra que os leigos só falam bestera
Cada vez que alguém pedir que volte a ditadura
Os asnos e suas asneras

Então presenteia seu filho com livros
Voce vai ter que ser exemplo vivo
Respeita as menina as coisas da vida
E quem sou eu pra falar tudo isso
Quem?

A vida passa e nos somos passado
Desde o nosso nascer
Se a sina do homem é o seu perecer
Seja o que for pra ser
O tempo caça, eu fui sempre caçado
Não posso reverter
Se o que me destina vai acontecer
Que que eu posso fazer?
(2x)

O Que Eu Posso Fazer (part Diomedes Chinaski) (Letra) - Atentado Napalm