OCTYPE html> ÍNTIMO MIXTAPE (LETRA) - A Orquestra Imaginária

Íntimo Mixtape (Letra)

A Orquestra Imaginária - Letras

Íntimo Mixtape (Letra) - A Orquestra Imaginária

Tô cada dia mais fraco
Mais amargo a mim mesmo
Viver deixa um estrago
E vez em quando em fraquejo
Só que acho perdido
Os planos nunca dão certo
Pois nada é real
Todos sabem fingir muito bem
Só a falta aumenta
Proporcional a ganancia
Qual a razão da existencia
Maldita ignorância
Já que ninguém mais se importa
Vou trancar-me em mim mesmo
Talvez não tenha mais volta
No meu ódio me protejo
Pois tudo que aprendi era mentira
O mundo não é bom
E as pessoas não são felizes
E não há solução
E nada vai mudar
Vamos nos afogar em nosso ego
Por fim, caem em mim
Todas as culpas

Eu vou deixa que o tempo passe
Pra você ver
Que o pior pode acontecer
Não se deixe levar
Pois também sei mentir
Mas caio nesse jogo outra vez

Olha lá quem vem
Já ficou lá atrás
Futuro de um pretérito imperfeito
O prazo dado a animação
Barreira imposta a condição
O sonho a cada estação
Se perde na imensidão
O tempo
Ditador das eras
Razão da espera
Chave do abismo
O medo gera o egoismo
Que se abre a pretensão
Impondo a interna discussão
E todos pensão ter razão
E se permite acreditar
Que a flecha acerta o alvo
Mesmo se o arqueiro não mirar

Nascer
Crescer
Chorar
Correr
ganhar
perder
Amar
Lutar
Sofrer
Mentir
Gritar
Cair
Ou se iludir
Por não se permitir

A vida é o dever que trouxemos pra casa
Quando se vê
Já são seis horas
Já é sexta-feira
Já é natal
Já terminou o ano
Perdemos o amor da nossa vida

Será que ainda é possível juntar
Todos os cacos que formam eu mesmo
Faz tempo que tá tudo fora do lugar
Me resta converter desventuras em texto
Plantando o que é leal e verdadeiro
Pra assim poder colher uma saída
Enquanto a vida afasta meus desejos
A arte cicatriza as feridas

Trancado na prisão que chamamos de corpo
Pagando minha pena no que chamam vida
Eu to ficando velho
Eu to ficando chato
E batom vermelho não me engana mais

Me sinto só
Me sinto o sol também
Me sinto só
Me sinto o sol tão bem
Me sinto soberano, sideral
Vital a existência

Sendo sol
Somente por clemencia
Espacial

Então me diz:
O que eu faço agora?
O que vocês fariam se eu cansasse e fosse embora
Pra nunca mais voltar
No universo infinito que habito como deus
Existem outros vários que habitam como eu
Quais nunca conheci
Me sinto sol

Eu não sou desse lugar
já cansei de explicar
De fingir acreditar
Que você quer me escutar
Já tentei me desculpar
Mas não dá

Não da mais pra acreditar
Que as coisas vão mudar
Que o dia vai chegar
Pois não vai

A várias eras eu não via o dia
Fazia tempo que o sol não nascia
Na escuridão das relações vazias
Hoje busco luz
Troca de energias
Por fora tô vestindo green land
Na mente uma explosão de ideias
Big bang
Eu nunca nasci
Sempre estive aqui
Infinitas reencarnações
Ressurgir
Porque só no teu inferno eu aprendi
Que você tinha de ir pra o novo aeon surgir
A lua dormiu com o sol pra terra me ter
Minha vida agora é uma overdose de D.M.T
A ciência hermética me fez reviver
Árvore da vida, cada dia um renascer
Porque nessa madrugada me senti só

Não desço do salto
De trago em trago
Eu vou ponderando
Penso no futuro
De cima do muro
Os extremos não convém
Já não tenho medo do escuro
Sigo no meu pulso reto
Pois a mim complesto
Não me pertence o dia de amanhã
O vermelho da maçã
Presente e meu semblante
Meu olhar cansado
Um tanto cintilante
Deixando e recebendo um tanto
Fiz esse meu canto torto pra espantar o pranto
Nessa minha instiga que faço de manto
Faço figa
Fico e vou
Buscando verdade ao meu sorriso

Embora lhe pareça calmo
Me mantenho louco
De trago em trago
Eu vou saltitando
Reconsiderando
Me tornando aflição
Mais um maço
Mais um dia
Busco a alegria
Me refaço e me desfaço
Calmaria
Penso o que seria
Se não houvesse o muro
Já não tenho medo do escuro
Sigo assim completo
Pois meu pulso reto
Me priva da ilusão do amanhã
O vermelho da maçã presente em meu cansaço
Faz do meu semblante um tanto cintilante
Tomo pelo braço
O mundo que é a minha casa
Vou abrir as asas e sair voando
Com os pés cortados e a alma gritando

Íntimo Mixtape (Letra) - A Orquestra Imaginária