OCTYPE html> DESDE O INÍCIO (PART RODRIGO CARTIER) (LETRA) - 3030

Desde o Início (part Rodrigo Cartier) (Letra)

3030 - Letras

Desde o Início (part Rodrigo Cartier) (Letra) - 3030

Eu finjo que eu não sei
Aonde isso vai nos levar
Então seja o que tiver que ser
Seja o que tiver que ser
O que tiver que ser, será
Eu finjo que eu não sei
Aonde isso vai nos levar
Então seja o que tiver que ser
Seja o que tiver que ser
O que tiver que ser, será

Eu já não sou o mesmo de antes
Minha missão mora longe
Vai do além do horizonte
Hoje melhor que ontem
Outro lugar, mesmo bonde
Desde o início eu já sabia, mas só ouvia, não
Eu te falei que eu partia, mas sumia, não
Só segui minha intenção, hey
Eu só fiz minha função, hey
Nunca esqueci minha razão, hey, hey

Não pergunte o que acontece comigo
Pouco importa, não tem a ver contigo
Não vejo o que eu faço, não ouço o que eu digo
Por vezes eu perco o sentido
Feito quem nunca tem tido, yeah
E nas madrugadas encontro abrigos em corpos vazios

Eu já não sou o mesmo de antes
Minha missão mora longe
Vai do além do horizonte
Hoje melhor que ontem
Outro lugar, mesmo bonde
Desde o início eu já sabia, mas só ouvia, não
Eu te falei que eu partia, mas sumia, não
Só segui minha intenção, hey
Eu só fiz minha função, hey
Nunca esqueci minha razão, hey, hey

Não pergunte o que acontece comigo
Pouco importa, não tem a ver contigo
Não vejo o que eu faço, não ouço o que eu digo
Por vezes eu perco o sentido
Feito quem nunca tem tido, yeah
E nas madrugadas encontro abrigos em corpos vazios

Eu já não sou o mesmo de antes
Minha missão mora longe
Vai do além do horizonte
Hoje melhor que ontem
Outro lugar, mesmo bonde
Desde o início eu já sabia, mas só ouvia, não
Eu te falei que eu partia, mas sumia, não
Só segui minha intenção, hey
Eu só fiz minha função, hey
Nunca esqueci minha razão, hey, hey

Não pergunte o que acontece comigo
Pouco importa, não tem a ver contigo
Não vejo o que eu faço, não ouço o que eu digo
Por vezes eu perco o sentido
Feito quem nunca tem tido, yeah
E nas madrugadas encontro abrigos em corpos vazios
Sei bem onde isso vai dar
Já perdi as contas das noites que eu finjo não ter
Mais juízo, sem receio de arriscar
Conheço as esquinas desde muito cedo
O menino sem pais hoje é um homem sem medo
Não pergunte o que acontece comigo
Tô querendo me sentir vivo
Com a fome de um cão e a ambição de um bandido

Eu finjo que eu não sei
Aonde isso vai nos levar
Então seja o que tiver que ser
Seja o que tiver que ser
O que tiver que ser, será
Eu finjo que eu não sei
Aonde isso vai nos levar
Então seja o que tiver que ser
Seja o que tiver que ser
O que tiver que ser, será

Ela me disse pra eu voltar pra realidade
Que tudo que eu me baseio é fictício
Eu disse a ela pra cuidar da vida dela
Que eu sabia o que fazia, como quem cospe no crucifixo
Mal sabia, eu tava errado nisso
Má mania de descompromisso
Só que eu tinha era certeza de que eu tava errado em tudo
Só que eu tava certo nisso
Entenda meu motivo ou não
Minha vida assina minha função
Todas minhas dores são
O que fazem minha motivação
Estendo minha mão pra quem fecha comigo
Quanto mais me arrisco, mais me sinto vivo

Fiz o que eu pude fazer
Fiz dessa rua minha casa, eu não soube esperar
Quem vive e quem sabe viver
Só me preocupo hoje em dia em não me preocupar
Não vim perturbar, não
Não tento prever se não tem utilidade
Sempre no auge
Minha se faz sendo fenomenal

Eu finjo que eu não sei
Onde isso vai nos levar
Onde isso vai nos levar

Desde o Início (part Rodrigo Cartier) (Letra) - 3030